A Porta.

 

O homem pobre bateu à porta.
Da janela o homem rico perguntou:
- Que queres receber?
- Nada quero receber.
Desejo apenas dar.
- O homem rico ironizou:
- És muito pobre para dar.
Sou muito rico para receber.
- Enganas-te.
Abre a tua porta e eu te darei a Verdade.
Interessado, o homem rico abriu a porta.
- Pronto – disse, dá-me a verdade que prometeste.
- Já te dei.
- Quando?
- Agora.
- E onde está a verdade?
- Numa porta que se abre, respondeu o homem pobre.

- Então, o homem rico meditou... e compreendeu.
 
- Obrigado – sussurrou.
Na verdade abriste a porta do meu coração, e por ela entrou a paz.
- Então, já posso ir - disse o homem pobre.
- Não, não vás – pediu o homem rico.
Fica um pouco mais?
- Não posso.
- Por que? Fala-me.
- Porque não precisas mais de mim!
E foi bater em outras portas fechadas à beira do caminho...

Autor: Desconhecido

[Voltar]