Túmulo Vazio.

 

Para vivenciarmos
a ressurreição de Cristo
e a nossa própria ressurreição diária,
para uma vida nova,
deveríamos fazer a experiência 

do túmulo vazio.

 

Na vida de Jesus existem dois túmulos vazios:
o de Lázaro e o dele próprio.

No túmulo de Lázaro encontramos a experiência passiva
de quem foi ressuscitado por uma força de fora: o poder de Jesus.
No túmulo de Jesus, a experiência ativa de quem ressuscitou por sua própria força.

Em ambos os túmulos, uma grande pedra fechava a entrada

e criava dificuldades para a ressurreição.

Em ambos os mortos, Lázaro e Jesus, muitas ataduras.
Na ressurreição de Lázaro, os amigos removeram a pedra e soltaram as amarras.

Na ressurreição de Jesus, ele próprio removeu a pedra e soltou as amarras.
É evidente que a ressurreição de Lázaro é a melhor imagem

para o nosso ressuscitar diário.
Precisamos de ajuda externa de todos aqueles que atendem ao apelo de Jesus:
"Retirem a pedra e desatem as amarras!".
Somente assim conseguiremos cumprir a ordem do Mestre:

"Levanta-te e anda!".

Por outro lado, no ato de ressuscitarmos sempre de novo
não podemos ser exclusivamente passivos e dependentes da ajuda externa.
Devemos buscar também a nossa força interior fundamentada na fé, na esperança,
no amor e, acima de tudo, no Espírito Santo de Deus, que habita em nós.
E neste caso, a ressurreição de Jesus é para nós o melhor exemplo de força
que nos faz ressuscitar de dentro para fora.
Não é a nossa força, mas a força de Deus,
que mora em nós e na qual depositamos a nossa fé.

Não desprezemos a ajuda externa.
Entretanto, não cruzemos sos braços jamais.

Busquemos a força da vida, que mora em nós, rompamos todas as amarras
e retiremos todas as pedras que nos impedem de atingir o amanhecer de uma vida nova.
Façamos isso em nome de Jesus, como os apóstolos!
Ocupemo-nos com a nossa ressurreição, trabalhemos uma vida renovada.

Com a ajuda do Cristo ressuscitado, ressuscitemos naquilo em que tivermos morrido
um pouco no dia-a-dia da nossa existência.

Autor: José Acácio Santana

[Voltar]