Salmo 039 - O Doloroso Enigma da Vida

 
Eu disse: "Vigiarei minha conduta para não pecar com a língua". Porei um freio à minha boca, quando o ímpio estiver diante de mim. Fechei-me no silêncio, emudeci ante a privação da felicidade, mas recrudesceu minha dor; ardeu-me no peito o coração, e, em minha reflexão, ateou-se o fogo. Então soltei a língua e falei: "Senhor, dá-me a conhecer meu fim e qual a medida de meus dias, para que eu compreenda como sou efêmero!" Eis que fizeste meus dias da largura de palmos, e a duração de minha vida é quase nada diante de ti. O homem, seja quem for, é apenas um sopro. O homem vai e vem como a sombra, um simples sopro o agita; amontoa e não sabe quem recolherá". E agora o que posso esperar, Senhor? Minha esperança está em ti. Livra-me de todos os meus pecados, não me exponha aos insultos dos insensatos. Emudeço, não abro a boca, porque és tu que atuas. Afasta de mim teus golpes, senão sucumbo sob o castigo de tua mão! 
Punes a falta para corrigir o homem; corróis como a traça, o que ele mais estima. O homem, na verdade, é apenas um sopro. Escuta, Senhor, minha oração e presta ouvido ao meu clamor! Não fiques invisível ao meu pranto! Porque diante de ti, sou apenas um forasteiro, um hóspede, como todos os meus pais.Desvia de mim o olhar de censura para que eu sorria, antes que me vá e não mais exista!

www.valever.com.br

[Voltar]