Salmo 045 - Poema Nupcial ao Rei

 
Belas palavras brotam de meu coração, recito meus versos em honra do rei.
Minha língua é como pena de ágil escrivão. És o mais belo dos homens; de teus lábios flui a graça, porque Deus te abençoou para sempre. Cinge a espada ao teu flanco, herói! É tua gala e tua majestade. Cavalga, triunfante e majestoso, em defesa da verdade e da justiça espezinhada!
Tua destra te revele feitos assombrosos! Tombem os povos a teus pés, por tuas agudas flechas no coração dos inimigos do rei! Teu trono, ó Deus, é eterno; teu cetro real é cetro de eqüidade. Amas a justiça e detestas a iniqüidade; por isso, ó deus, teu Deus te ungiu com o óleo da alegria, preferindo-te aos teus companheiros. Mirra, aloés e cássia exalam tuas vestes, as harpas dos palácios de marfim te festejam. Filhas de rei estão em teu cortejo de honra; à tua direita está a rainha, adornada de ouro de Ofir. Escuta, minha filha, olha e presta atenção: esquece teu povo e a casa paterna, porque o rei se encantou de tua formosura. Rende-lhe homenagem, pois ele é teu senhor! A representação de Tiro vem com presentes, e os potentados do povo buscam teu favor. Com toda a dignidade a princesa em seus aposentos, se adorna com vestes recamadas de ouro, e com pompas multicores, é conduzida ao rei. As virgens de seu séqüito são as amigas de infância e suas convidadas. Em cortejo de júbilo e regozijo, elas entram no palácio real. Em lugar de teus pais virão teus filhos, Que nomearás príncipes por toda a terra. Lembrarei teu nome por todas as gerações, e assim os povos te celebrarão para sempre.

www.valever.com.br

[Voltar]