Salmo 106 - Bondade do Senhor e Infidelidade do Povo

 

Aleluia! Dai graças ao Senhor, porque ele é bom, porque eterno é o seu amor. Quem poderá contar as façanhas do Senhor e apregoar todo o louvor que merece ? Felizes os que observam o direito e praticam a justiça em todo o tempo! Por amor de teu povo, Senhor, lembra-te de mim, vem visitar-me com sua salvação, para que eu possa experimentar a dita dos eleitos, regozijar-me com a alegria de teu povo e gloriar-me com tua herança! Pecamos como nossos pais, cometemos a iniqüidade, praticamos o mal. Nossos pais, no Egito, não deram atenção aos teus milagres; esquecido de teus inúmeros favores, rebelaram-se junto ao mar, o mar vermelho. Ele porém o salvou por causa de seu nome para manifestar seu poder. Intimou o mar vermelho e ele secou; conduziu-os pelas ondas, como por um deserto. Salvou-os das mãos daqueles que os odiava, resgatou-os do poder do inimigo: as águas sepultaram seus perseguidores, sem que um só escapasse. Então creram em suas palavras e cantaram seus louvores. Bem cedo esqueceram as suas obras e não confiaram em seus desígnios. Deram largas à voracidade no deserto, e no ermo tentaram a Deus. Concedeu-lhes o que reclamavam, mas, por sua gula, feriu-os de prostração. No acampamento eles invejaram Moisés e Aarão, o consagrado do Senhor. A terra se abriu e tragou Datã e cobriu os seguidores de Abiram. O fogo consumiu o bando, uma chama abrasou os ímpios. Fizeram um berreiro em Horeb, adoraram um ídolo feito de metal; trocaram a glória divina, pela imagem do boi, que come capim. Esqueceram a Deus, seu salvador, que fizera prodígios no Egito, maravilhas na terra de Cam, portentos junto ao mar vermelho. Ele pensava em exterminá-los; porém Moisés, seu eleito, postou-se na brecha diante dele para conter sua ira destruidora. Desprezaram uma terra invejável, não creram em sua palavra; murmuraram nas tendas e desobedeceram à voz do Senhor. Ele levantou a mão e jurou que os faria perecer no deserto, que lançaria seus descendentes entre as nações e os dispersaria pelos países. Aderiram a Baal de Fegor e comeram do que era sacrificado aos mortos. Provaram-no com seus desmandos, e uma peste irrompeu entre eles. Mas Finéia levantou-se e intercedeu, e a peste cessou, o que lhe foi imputado como um ato justo, de geração em geração, para sempre. Irritaram-no junto às águas de Meriba, e Moisés sofreu por causa dele; por serem indóceis ao seu espírito, com seus lábios proferiu desatinos. Não exterminaram os povos, como o Senhor lhes ordenara mas misturaram-se com os pagãos e adotaram seus costumes. Prestaram culto aos ídolos, que foram para eles uma cilada. Sacrificaram seus filhos e suas filhas aos demônios. Derramaram sangue inocente - o sangue dos filhos e das filhas, que eles sacrificaram aos ídolos cananeus - e o país ficou profanado com sangue.Contaminaram-se com suas obras e se prostituíram com seus desmandos. A ira do Senhor inflamou-se contra seu povo, e ele abominou sua herança. Entregou-os nas mãos dos pagãos, e os adversários os dominaram; o inimigo os oprimiu, e eles vergaram sob sua mão. muitas vezes os libertou, mas eles, obstinados, rebelavam-se e mergulhavam cada vez mais na culpa. Todavia deu atenção à sua angústia, quando ouviu seus gritos. Recordou-se de sua aliança com eles e, em sua grande bondade, deles se compadeceu. Fez que obtivessem clemência perante os que tinham deportado. Salva-nos, Senhor nosso Deus: reúne-nos dentre os pagãos, para darmos graças a teu santo nome e te rendermos glória e louvor! Bendito seja o Senhor de Israel desde sempre e para sempre. E todo o povo dirá: "Amém! Aleluia!"

www.valever.com.br

[Voltar]