Salmo 141 - Súplica de Proteção

 

Senhor, eu te invoco: vem depressa! Presta ouvido à minha voz, quando te invoco! Com incenso seja apresentada minha oração em tua presença, sejam como oferenda vespertina minhas mãos erguidas! Coloca, Senhor, um guarda diante de minha boca, uma sentinela à entrada de meus lábios! Não deixes meu coração inclinar-se ao mal e perpetrar ações criminosas! Em companhia de malfeitores jamais provarei de seus manjares. Pode o justo, por lealdade, castigar-me: se me corrigir, isso será um bálsamo precioso, que minha cabeça não recusará. Estando eu assim em oração, em vista da hostilidade deles, seus chefes se precipitaram às bandas do rochedo, embora tivessem ouvido minhas palavras amistosas. Como se alguém tivesse cavado e revolvido a terra, assim estão espalhados nossos ossos à beira do abismo. Por isso meus olhos se voltam para ti, Senhor, meu soberano: em ti encontro abrigo. Não deixes minha alma desfalecer! Guarda-me do laço que me estenderam e das armadilhas dos malfeitores! Caiam os ímpios nas próprias redes, escapando eu ileso!

www.valever.com.br

[Voltar]